Navigation Menu

Ad Block

Recent Posts

Tainá Müller, Eduardo Moscovis e Camila Morgado estrelam nova série original da Netflix


Por Victoria Hope

Atenção Mindhunter, temos visitas! Quem adora thriller nacional e a temática de investigação, vai se apaixonar por essa nova adaptação best seller. Baseada no celebrado romance policial homônimo, Bom Dia, Verônica é a nova produção original brasileira da Netflix.

O thriller acompanha Verônica Torres (Tainá Müller), que  trabalha como escrivã na delegacia de Homicídios de São Paulo, onde vive uma rotina burocrática e pouco dinâmica dentro do sistema. Casada e mãe de dois filhos, ela se vê diante do abismo quando presencia um suicídio que acaba por despertar nela dolorosas feridas do passado. Na mesma semana, recebe a ligação anônima de uma mulher desesperada clamando por sua vida.

Determinada, Verônica decide usar toda sua habilidade investigativa para mergulhar nos casos das duas vítimas: uma jovem enganada por um golpista na internet, e Janete (Camila Morgado), a esposa subjugada de Brandão (Eduardo Moscovis), policial de alta patente e um homem dominador. Ao se aprofundar nessas investigações, Verônica irá enfrentar um mundo perverso que coloca em risco sua família e sua própria existência.

Elisa Volpatto, Silvio Guindane, César Melo, Adriano Garib e Antônio Grassi completam o elenco dessa nova produção. Quer saber mais curiosidades sobre o elenco e a série? Acesse: netflix.com/bomdiaveronica

Criada e adaptada para a TV por Raphael Montes, a série conta com roteiros do próprio Raphael, junto com Ilana Casoy, Gustavo Bragança, Davi Kolb e Carol Garcia. Na direção geral está José Henrique Fonseca, que também é produtor-executivo da série ao lado de Eduardo Pop, Ilana Casoy e Raphael Montes. A produção é da Zola Filmes.

Bom Dia, Verônica já está sendo gravada no Rio de Janeiro e em São Paulo, e será lançada com exclusividade na Netflix globalmente em 2020.

Cheetos lança sabor de churros para esse Halloween



Por Victoria Hope

Quem curte Halloween vai simplesmente amar essas duas novidade inusitadas. A marca Cheetos vai lançar em Outubro, dois novos sabores para comemorar as festas desse ano.

Coisas estranhas acontecem no Halloween, como TVs desligando sozinhas, portas abrindo e fechando sem ter ninguém por perto e barulhos esquisitos. E CHEETOS®, que faz parte do portfólio da PepsiCo, não poderia ficar de fora da temporada, comum na cultura norte-americana e que vem conquistando o coração dos brasileiros.

Para entrar no clima, a marca lança dois sabores, em edição limitada: versão Travessuras, sabor queijo defumado e a surpreendente versão Doçuras, sabor churros. Os snacks terão embalagens inéditas, com cores que remetem ao tom irreverente da marca, e no formato de ossinhos que, juntos, formam um esqueleto. O teaser da campanha será estrategicamente lançado na próxima sexta-feira 13.

O Halloween é marcado por brincadeiras inusitadas e por que não lançar um sabor fora do comum? Queremos oferecer uma nova experiência aos nossos consumidores, um sabor de salgadinho que eles nunca imaginariam provar, e nada melhor do que trazer essa novidade para comemorar o Dia das Bruxas’’, afirma Camila Pagamisse, diretora de Salty Snacks da PepsiCo Brasil.

CHEETOS® versão Travessura sabor queijo defumado e doçura sabor Churros já começam a chegar nos pontos de venda do Brasil com o preço sugerido de R$ 2,99.


CCXP 2019 | Diretor de 'O Grito' vem ao Brasil para o evento



Por Victoria Hope

Quem é fã de cinema de terror asiático com certeza vai amar essa notícia. A CCXP 2019 contará com a presença do genial Takashi Shimizu, conhecido por seus filmes japoneses de terror e por trazer o gênero de terror asiático para o mercado de cinema ocidental. O diretor estará no evento todos os dias.  

 Nos anos 2000, Hollywood se apropriou do formato japonês de fazer filmes de terror. Um dos destaques dessa produção foi o lançamento de “O Grito”, que chegou às telas em 2004 e arrecadou 187,2 milhões de dólares, marcando a estreia de Takashi Shimizu na capital mundial do cinema. 

Celebrado diretor do gênero, Shimizu acaba de confirmar sua presença em todos os dias da CCXP19, que acontece entre 5 e 8 de dezembro, no São Paulo Expo. O diretor encontrará com os fãs em painéis e sessões de Fotos & Autógrafos que serão anunciados em breve. Sua participação no festival é uma parceria com o Consulado Geral do Japão em São Paulo.

O Grito” ocupou o topo das bilheterias americanas por duas semanas. O filme foi um remake de Ju-On, franquia de terror japonês cujos longas “Ju-On: The Curse” e “Ju-On: The Curse 2” foram dirigidos por Takashi Shimizu.

Takashi ao lado de 'Ju-On: The Grudge' sua produção aclamada / Divulgação
Seu primeiro trabalho como diretor, um curta de três minutos, foi elogiado pelos grandes nomes do terror japonês – o diretor Kiyoshi Kurosawa e o roteirista de mangá Hiroshi Takahashi. Shimizu ainda dirigiu “Almas Reencarnadas” e a versão de 2014 do filme “O Serviço de Entregas da Kiki”, que traz para o live action o clássico do mestre Hayao Miyazaki, além de ter produzido “Resident Evil: A Vingança”, entre outros. Seu filme mais recente, "Howling Village", será lançado em 2020.

Além de Takashi Shimizu, já estão confirmados para a CCXP19 os atores Lesley-Ann Brandt, a Mazikeen de “Lucifer”; Lana Parrilla, de “Once Upon a Time”; Iain Glen, do elenco de “Game of Thrones”; e escalado para viver Bruce Wayne em “Titãs” e Jason David Frank, o eterno Power Ranger Verde. O maior festival de cultura pop do planeta também já anunciou a participação de diversos quadrinistas e do cosplayer italiano, Leon Chiro. O terceiro lote de ingressos para o evento já está disponível pelo site www.ccxp.com.br.

[Review] Parasite



Por Victoria Hope

Se você adorou filmes como 'Snowpiercer', 'Okja' 'Memórias de Um Crime' do diretor sul coreano Bong Joon-Ho, definitivamente irá se apaixonar pelo premiado Parasite, novo filme que recebeu a palma de ouro em Cannes esse ano.

Para entender mais sobre a trama, é preciso conhecer um pouco sobre a política coreana e a arte do cinema sul coreano, mas é claro que mesmo sem conhecimentos sobre esses dois assuntos, é impossível não entender o filme, pois as criticas sociais por trás da história vão de encontro com o que países da América Latina, principalmente o Brasil, têm passado ao longo das décadas.

Além de vencer a Palma de Ouro nesse mês durante o Festival de Cannes, 'Parasite' também foi enviado para a lista de indicados ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro do ano que vem. Aplaudido
por mais de seis minutos no festival, o filme é um forte candidato à ganhar a estatueta em 2020.

Na trama, conhecemos uma família 'sem nome' que está passando por dificuldades financeiras e que vive em um lugar isolado, quase que escondido no sul da coreia, onde as condições de vida no bairro são precárias. É uma Coréia invisível, longe de todo o glamour que estamos acostumados a ver.

Família Ki em "Parasite" - Divulgação 
Sem emprego, sem ter o que comer e sequer um sinal de wi-fi para poder usar seus celulares, a família Ki luta para conseguir alguns bicos, sem sucesso, mas mantém o otimismo de que um dia conseguirão sair de lá.

As primeiras críticas começam quando vemos a família que vive na extrema pobreza lutando para conseguir dobrar caixas de pizza para um grande restaurante, recebendo uma pechincha para um trabalho tão árduo que lhes custou uma madrugada inteira.

Ki Taek (Song Kang-Ho), o pai da família sente vergonha de sua condição e por ter perdido um grande negócio alimentício para a falência, porém é extremamente orgulhoso da edução de seus filhos, afinal na Coréia, mesmo a camada mais pobre à camada mais rica do país, desfrutam de uma educação louvável nas escolas.

Quando a família percebe que se encontra em um buraco sem saída, um dos amigos bem sucedidos de Ki-Woo, filho mais velho da família, oferece a chance de aplicar um golpe em uma das famílias mais abastadas da Coréia a fim de ajudar a família Ki a ganhar muito dinheiro.

Woo-sik Choi em 'Parasite' - Divulgação
Por ter prestado serviço militar obrigatório, como todo rapaz jovem coreano, Ki-Woo possui muitos conhecimentos em inglês, então com ajuda de sua irmã, forja um documento falso para se passar por um professor particular de inglês.

Com ajuda da indicação de seu melhor amigo, Ki-Woo consegue se infiltrar na casa do milionário arquiteto Park e pouco a pouco a família de Ki- Taek começa a se aproveitar da situação, até que pai, mãe e filhos conseguem empregos dentro da casa sem que ninguém da família abastada perceba a família de 'parasitas' se alocando em seu lar.

Isso é apenas o começo da trama, mas ao longo da história percebemos que a crítica da história não é voltada apenas à família de Ki-Taek, mas também à própria família Park também, pois se para os Ki, a família rica passou a ser uma fonte de renda a ser sugada, para os Park, que vivem muito de aparências, seus empregados empregados, no caso, desde a família Ki à antigos funcionários, estão ali apenas para servir e ser meros brinquedos que podem ser descartados quando conveniente.

Família Park em 'Parasite' - Divulgação
Absolutamente nada no filme é previsível e conforme a trama vai se desenrolando, começamos a entender cada vez mais as diversas críticas sociais que recheiam o filme. Mesmo a família 'perfeita' Park, nada mais é do que um retrato sórdido de uma Coréia não invisível à mídia e aos holofotes.

Com uma alta dose de suspense, mas nunca terror, presenciamos metáforas e frases que marcam críticas à todo o sistema social coreano, incluindo críticas à própria Coréia do Norte, ao regime militar, ao endeusamento da cultura Norte Americana e é claro, um toque na feridas da guerra.

Um dos momentos mais grotescos do filme fica por conta da fetichização da pobreza, quando o Sr. e a Sra. Park tem um momento sexual em seu sofá da casa, imaginando ser um motorista de carro e uma moradora de rua dependente química.

Nesse momento percebemos como a família rica fetichiza a pobreza e coisifica as camadas menos abastadas o tempo todo, até mesmo em gestos, como no momento em que todos da mansão, tanto o filho caçula, quanto à irmã mais velha e a mãe da família rica tapam o nariz quando sentem um 'cheiro' estranho  vindo das pessoas mais pobres que começaram a frequentar sua mansão.

O caçula da Família Park em 'Parasite' - Divulgação
São tantas simbologias, tantos detalhes milimetricamente calculados e filmados com perfeição, que o filme pede para ser assistido mais de uma vez para que possamos captar todas as mensagens escondidas em cada canto.

Para muitos, o filme com certeza terá um desenvolvimento lento e diferente do que muitos pensavam, o filme não possui gore sem necessidade, pois todas as cenas sangrentas, bem próximas ao final do filme, tem um significado de porque estão ali em primeiro lugar.

Não é um filme fácil de se digerir na primeira vez, mas aos poucos os sinais são logo identificados e a resolução chega como um soco e uma boa dose de melancolia. É impossível terminar o filme e dormir sem pensar por horas e horas no que acabou de presenciar.

Por enquanto Parasite não tem nome traduzido, nem previsão de estreia no Brasil, mas assim que as datas forem divulgadas, iremos divulgar por aqui em primeira mão.

Nota: 10/10

Perifacon 2020 tem data e local confirmados




Por Victoria Hope

Ótimas notícias, pessoal. Com dois dias de evento no próximo ano, a PerifaCon, conhecida como a 'Comic Con' das favelas vai acontecer em dois dias. O sucesso foi tanto em sua 1ª Edição, que agora o evento irá apostar em um local maior e mais datas para receber todos os visitantes com conforto.

A próxima edição foi divulgada publicamente pelos criadores e produtores do evento, Luíze Tavares, Igor Nogueira, Andreza Delgado e Gabrielly Oliveira, durante a estreia do “PerifaCon, o podcast”.

Com a proposta de ser um evento itinerante, é a vez do extremo leste receber a 2ª edição do PerifaCon nos dias 11 e 12 de abril de 2020 no Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes (CFCCT), que é o maior equipamento cultural da Prefeitura de São Paulo na Zona Leste da cidade.

O espaço conta com cinema, teatro, biblioteca, sala de exposições, salas para atividades, ateliês, telecentro e parque técnico de audiovisual.

A primeira edição do evento, recebeu mais de 4 mil pessoas e se mostrou ser uma demanda para as quebradas em função do alto número de pessoas interessadas em ver de perto a comic con da favela.

Vale lembrar também que a busca por patrocínios e arrecadação coletiva para manter a equipe trabalhando no projeto é permanente. Todas as contribuições podem ser feitas através do link https://benfeitoria.com/vaiperifacon.

A programação e inscrições serão divulgadas oportunamente em todos os canais de comunicação do evento.

----

Serviço

PerifaCon 2020 | 2ª edição
Data: 11 e 12 de abril de 2020
Local: CFCCT - Rua Inácio Monteiro, 6900 - Conjunto Habitacional Sítio Conceição - São Paulo - SP, 08490-000

The Politician | Ben Platt e Zoey Deutch divulgam a série em São Paulo



Por Victoria Hope

Pela primeira vez no Brasil, Ben Splatt, vencedor do prêmio Tony pelo musical 'Dear Evan Hansen' e a atriz Zoey Deutch, participaram de um evento nessa quinta (12)  em São Paulo para divulgar a nova série original da Netflix 'The politician'.

Dirigida por Ryan Murphy, a série estreia no dia 27 de Setembro no streaming e conta a história de um adolescente chamado Payton Hobart (Ben Platt) tem um sonho: se tornar o presidente dos Estados Unidos. Enquanto o cargo não chega, o garoto de família rica tem seus planos traçados, que incluem entrar em Harvard, se tornar presidente do grêmio estudantil e conseguir as melhores notas, mas o Ensino Médio vai ser muito mais difícil e competitivo do que ele imaginava.

No evento exclusivo promovido pela Netflix no elegante Palácio Tangará, jornalistas e influencers puderam acompanhar uma exposição do figurino da série além de participar de uma coletiva de imprensa e um jantar ao lado dos protagonistas da série.


À convite da Netflix, nossa equipe assistiu ao primeiro episódio do programa e podemos dizer que Ryan Murphy vai surpreender mais uma vez com uma trama que mistura elementos que lembram muito 'Scream Queens' e 'Stepford Housewives'.

Sem spoilers, é possível  dizer que assim como toda a estética visual, Ryan Murphy novamente aposta em uma trilha sonora marcante faz questão de ter trilhas sonoras marcantes em The Politician, co direito a músicas reinterpretadas pelo próprio Ben Platt.

Algumas das faixas variam de Tame Impala ao The Cure e Barbra Streisand. Espere também por uma  estética visual pastel com muito cor de rosa, verde e azul, característica queridinha em produções do diretor.

Zoey e Ben Platt no palco da pré estreia
Zoey Deutch comentou durante a coletiva que os fãs deveriam esperar sempre pelo inesperado quando falamos em Ryan Murphy e que para ela, trabalhar com o diretor é um sonho realizado de muitos anos.

Ben Platt, muito simpático também confessou que adora o trabalho de Murphy e o ator também aproveitou para arriscar algumas palavras em português. Ele comentou que a série irá abordar diversos assuntos desde corrupção, à representatividade LGBT entre outros temas muito pertinentes aos dias de hoje.


Tati Gabrielle de 'Sabrina' vem ao Brasil em outubro



Por Victoria Hope

A atriz Tati Gabrielle, conhecida principalmente por seus papéis como Gaia, em The 100, e Prudence, em O Mundo Sombrio de Sabrina, virá ao Brasil para um evento em outubro.


A informação foi dada nesta madrugada de 11 de setembro pelo jornalista José Noberto Flesch em seu Twitter. Segundo o tweet, o evento será no dia 5 de outubro, em São Paulo. Mais informações, como local e valores dos ingressos, ainda não foram divulgadas.